Cinco dias de Cretino, A.C. Nunes – Dia 4: Entrevista com A.C.Nunes

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Ei, amizades!

Durante a semana conhecemos um pouco mais da trama de Amor á Segunda Vista e de seus personagens. Então, nada mais justo do que conhecermos um pouco mais sobre a autora, né?

Antes da entrevista, vou deixar algumas curiosidade do livro para vocês:

- O personagem Alfredo Hauser foi inspirado em outro personagem de mesmo nome. Quem não se encantou com a história de Alfredo Rockfield e Milla Lopes, de Pícara Sonhadora? A autora do livro assistiu todas as vezes que a novela foi televisionada no SBT e é simplesmente apaixonada pela trama.

- O livro foi publicado no Wattpad, mas depois retirado para ser completamente rescrito. Com uma trama e uma escrita mais amadurecida, a autora deixou o livro mais instigante e emocionante, lançando-o posteriormente na Amazon.

- O livro estava engavetado, com alguns capítulos no Wattpad. Graças a uma leitora, hoje uma das melhores pessoas na vida da autora, o livro foi finalizado — e depois reescrito. Com certeza, se não fosse por esse incentivo, a trilogia não existiria.

- Inicialmente, Amor à Segunda Vista seria uma duologia. Mas a autora criou um enredo para um terceiro livro para que pudesse trabalhar mais a relação de Alfredo com outros personagens, como o irmão, e com a própria Lívia, mostrando-o um homem completamente amadurecido e diferente do Alfredo primeiro livro.

- Em Amor à Segunda Vista, Alfredo tem uma cafeteria em sociedade com o melhor amigo, Bernardo. Curiosamente, a autora já teve dois patrões donos de uma chocolataria e cafeteria que eram sócios e se chamavam Alfredo e Bernardo; isso aconteceu quando ela já estava escrevendo o segundo livro da série. 


Vamos começar com as perguntas básicas! Seu nome, idade e sua formação.
Me chamo Amanda, tenho 24 anos (farei 25 esse ano, em outubro), e sou ex-estudante de História, não formada.

Por que você usa A.C. Nunes e não Amanda Nunes?
Quando eu descobri o Wattpad, eu passei a publicar minha história como "Amanda Costa", que, digamos assim, é meu nome verdadeiro. Não lembro o user na época, mas quando consegui a publicação do 60 horas, que foi sob o pseudônimo Amanda Nunes, eu troquei meu user do Wattpad para ac_nunes, onde AC são as iniciais do meu nome de batismo. O Nunes é sobrenome da minha família materna, mas por algum motivo minha mãe me registrou apenas com o sobre nome paterno (Costa). Mas eu simplesmente amo o sobrenome materno, então o uso como pseudônimo. De uns dois anos pra cá, decidi usar o user ac_nunes como pseudônimo. Daí A.C. NUNES, e não Amanda Nunes. 

Com quantos anos começou a escrever?
Aos 17. Mas isso durou pouco. HAHHA. Como perdi meu notebook, fiquei muito tempo sem escrever. Foi aos 22 que eu resolvi retomar a história que comecei aos 17, começando tudo de novo (obviamente, porque perdi todo o arquivo junto com o computador). Mas esse período foi bom. Amadureci muito a história.

Quando você começou a escrever e a pensar nos seus primeiros personagens, imaginava que chegaria onde está hoje? Com livros publicados e esperando o lançamento de mais um?
Não esperava mesmo. A gente tem um sonho que é ver o livro publicado, ter um público, mas esperar, a gente nunca espera. Tem muito escritor bom nesse país, e, às vezes, bate aquele crise de que o que você escreve não é tão bom quanto o outro escreve, então fica aquela paranoia de você achar que nunca vai alcançar certo nível de escrita. Mas com o tempo a gente aprende que escritor bom e ruim é algo muito subjetivo, também.  Isso acaba aliviando um pouco. E quando acontece de surgir a oportunidade de publicar, é realmente uma surpresa e uma felicidade, porque a gente nunca espera. 

Me conta como foi quando você ficou sabendo que seu livro seria publicado pela primeira vez.
Comigo é sempre uma euforia e uma ansiedade infinitas. HAHAHA. Mas em geral eu fico muito feliz por me darem essa oportunidade e acreditarem no potencial do meu trabalho. Quando eu publiquei meu primeiro livro, foi como se eu tivesse ganhado na loteria. Foi parte de um sonho realizado. 

Você sempre foi uma pessoa criativa?
Sim! Muito. Inclusive na escola quando era preciso alguma coisa nessa parte de criatividade, todo mundo jogava nas minhas costas. HAHAHA. Eu elaborava peças de teatro, paródias, poemas, músicas. Engraçado que sempre gostei muito de criar, mas hoje em dia o que faço de melhor mesmo é escrever. 

De onde vem seu inspiração? Afinal, você escreve romances, suspense e até terror.
Minha inspiração vem de todos os lados, de verdade. Meu romance de terror, Hotel Califórnia, por exemplo, foi inspirado numa música homônima, sucesso dos Eagles, inclusive. O 60 Horas me inspirei no filme Adrenalina. Estou trabalhando em um projeto em que me inspirei num conto que eu escrevi para uma antologia (e que fui selecionada, aliás hahaaha). Eu já escrevi contos que surgiram em simples conversas do cotidiano. Tem história inspirada em jogos de RPG. Então minha inspiração é muito natural e fluída.

E o nome dos personagens?
Tenho 3 personagens no 60 horas que são uma homenagem a pessoas reais na minha vida. O Alfredo foi inspirado em outro personagem de uma novela brasileira (falo sobre isso nas curiosidades, então não vou repetir aqui ahahahha), e o Daniel, de Contrato de Casamento, era um personagem de RPG que eu jogava. O nome dele era uma "homenagem" da jogadora para Daniel Gillies, ator de uma série americana sobre vampiros (amamos). Posso dizer que acabei "roubando" o primeiro nome do personagem, HAHAHHAHA, e me baseando no enredo do jogo pra criar o livro. Os demais personagens, os nomes foram simplesmente tirados de site de nomes de bebês. rs

O que você acha que tem de diferente em Amor à Segunda Vista? O que ele tem que vai fazer os leitores amarem a trama?
Pra começar, tem um cretino fora dos padrões. Alfredo não é só aquele cara mulherengo, conquistador, etc, ou o personagem que sofre algum trauma amoroso e se torna um babaca. Tudo que ele é faz parte da personalidade dele. É um babaca de nascença, digamos assim. Tem um triângulo amoroso de pano de fundo entre dois irmãos que, na verdade, nunca se entenderam muito bem. Estarem apaixonados pela mesma mulher só atiça mais a rivalidade e ódio entre eles. Triângulo amoroso entre dois irmãos tem aos montes, mas irmãos que verdadeiramente se odeiam? É raro, me arrisco a dizer. haaha. Também tem uma personagem feminina que,  de início é bem clichê, mas ela amadurece e se torna uma mulher forte. A trama foge daquilo de a mocinha tentar mudar o jeito do mocinho, ou ajudá-lo, essas coisas. O Alfredo se propõe a mudar por si pra reconquistá-la.

Você já teve um cretino, como o Alfredo, em sua vida?
Não. E eu não sei se isso é bom ou ruim. HAHA

Você sempre foi uma leitora voraz?
Não. Tomei gosto pela leitura só lá pelos 16. E ainda acho que não lia mais do que 12 livros no ano. Eu poderia dar um monte de pretexto, mas acho que nada justifica, porque acesso à leitura é fácil, principalmente pra alguém como eu. Enfim, mas quando comecei a escrever, eu entendi que precisava ler mais, conhecer as técnicas, ver como os escritores narravam suas histórias. Só então passei a ler com mais frequência. Hoje a leitura flui muito naturalmente.

Você pode dar dicas para quem está querendo se aventurar nesse mundo da escrita?
Ler muito é essencial, às vezes eu acho que vivemos num mundo de escritores que não leem. Sempre buscar um aperfeiçoamento da sua escrita, melhorando a sua gramática, por exemplo. Hoje em dia a informação é muito fácil de ser conseguida, então dá pra “googlar” muitas coisas na internet, fazer pesquisas sobre pontuação de diálogos, uso de crases, etc. É lógico que você não precisa ser um PHD em Português, mas ter o básico é importante. Pedir sempre pra alguém dar uma lida em uma coisa ou outra do que você escreve, pedir uma opinião sincera, seria interessante conversar com alguém que tem uma noção básica do assunto, não somente daquele seu amigo que vai dizer que tudo o que você escreve é maravilho. E por último, acho que é muito importante, também, sempre escrever o que você tem vontade. Não tente agradar todo mundo, porque você não vai conseguir. Primeiramente, escreva pra você, pra agradar você. 

Redes sociais: Facebook | Wattpad | Instagram


Pré-venda: aqui.

Está chegando, pessoal! É amanhã o lançamento do livro! 
Não percam que eu vou postar as primeiras impressões, hein?! Beijinhos.






Mari Zavisch
24 anos. Jornalista, amante de livros e fotografia. Harlan Coben é meu amorzinho literário e me apaixono por qualquer personagem de livros ♥
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Galáxia dos desejos, VERSION: 02 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo