Proibido - Tabitha Suzuma

terça-feira, 31 de janeiro de 2017
Ano: 2014
Páginas: 304
Editora: Valentina

Sinopse: Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


Antes de apresentar o livro, preciso contar sobre um dos motivos de eu ter lido esse livro: o Clube do Livro 2017! Como quem não quer nada, eu aceitei participar e esse ano eu até o fim. O clube conta com um grupo de 20 leitores e todos nós temos um tema de livro para cada mês do ano. No fim desse post vou deixar o banner que vem com o link de todos os blogs participantes para vocês possam dar aquela conferida linda nos livros escolhidos de cada um deles 💜

O tema desse mês foi “Um livro indicado”. Quem me indicou Proibido foi minha tia. Ela me disse várias vezes que eu precisava ler e que era lindo. O que foi ótimo, pois tinha esse livro no leitor há um tempinho, mas estava enrolando demais para começar a leitura. Então foi aquele empurrãozinho que eu precisava! Como eu já disse um milhão de vezes, eu não tenho o costume de ler sinopses para decidir se quero ler um livro ou não, então me surpreendi um pouco quando a temática foi se apresentando conforme as páginas passavam... 


O livro nos apresenta uma casa completamente transtornada, onde seus personagens principais e que dão vida ao lugar são Lochan e Maya. Ele tem 17 anos e ela 16. Com uma diferença de apenas 13 meses, os dois eram como gêmeos quando pequenos e hoje dividem uma ligação que mais ninguém dentro daquela casa poderia sonhar em ter. 

Eles fazem parte de uma família praticamente destruída. Os pais se separaram e a mãe acha que tem 20 anos. Por isso, sai todas as noites com seu novo namorado e tem um problema horrível com bebida. Quando está dentro de casa, está de ressaca ou começando a perder a razão por causa do álcool e nunca fica o suficiente para realmente cuidar de seus filhos. 

Por esse motivo, Lochan e Maya se colocaram no lugar dos pais para cuidar da casa e de seus três irmãos: Kit, Tiffin e Willa. Só que a realidade é muito mais complicada do que eles queriam. A casa é um caos, ninguém se respeita muito e eles precisam fingir para o mundo que está tudo bem. Sem falar que kit entrou na fase dos 13 anos, adolescente rebelde e que faz de tudo para ver o circo pegando fogo... E na maioria das vezes ele consegue. 



Além de todos os problemas que precisa lidar dentro de casa, Lochan tem um problema em que ele não consegue interagir com outras pessoas que não sejam da sua família. Sua mente trava, as palavras não saem e ele tem ataques de pânico. Ou seja, não dá pra ficar pior, não é? Só que o destino estava esperando o momento certo para mostrar que o errado pode parecer certo e que um pode encontrar no outro o conforto e o apoio que tanto precisam... 

"Sinto uma solidão terrível o tempo todo. Mesmo estando cercado por outros alunos, há uma tela invisível entre nós, e por trás da parede de vidro estou gritando - gritando para que me notem, que sejam meus amigos, que gostem de mim"
A temática de amor entre irmãos sempre me incomodou um pouco, tanto que nunca havia lido nada do gênero. Simplesmente não conseguia pensar nessa situação como algo normal, é até difícil para explicar o que eu sentia quando o assunto era esse. Foi um dos motivos também para que eu ficasse receosa quando percebi para qual caminho o livro estava indo. 

Só que nesse livro tudo é muito sofrido. A vida deles é sofrida, os sentimentos que cada um guarda pra si são sofridos, a mãe deles é a pessoa mais imbecil que já se viu na vida e a forma como foi criado esse amor entre eles, te dá uma esperança de que no fim alguma coisa vai ser boa. Mesmo que eles fiquem naquela situação de esconder e ter medo de que alguém descubra, porque se isso acontecer os irmãos vão ser tirados deles e todo esse rolo familiar. 


Não posso dizer que não achei estranho no começo, porque achei. Mas uma coisa que Maya diz no livro e que acaba sendo verdade é que os dois nunca foram irmãos. Eles foram melhores amigos e cúmplices. Eles foram pai e mãe e tiveram que cuidar das crianças como se fossem deles. Eles sempre se trataram de igual para igual e o porto seguro de um era o outro. Então aos poucos fui torcendo para que eles pudessem ficar juntos, porque alguma coisa tinha que acontecer, não era possível!

"Nós não somos assim. Não somos doentios. Somos apenas um irmão e uma irmã que por acaso também são melhores amigos um do outro. É assim que sempre foi entre nós dois. Não posso perder isso, ou não vou sobreviver"
Acredito que muitas pessoas não vão conseguir ler o livro ou não vão chegar até o fim, porque ele é bem pesado. Aguentar a carga emocional de Lochan não é fácil. Do mesmo jeito que aguentar Maya passando a mão na cabeça da mãe e de Kit também não é. Ele te testa do começo ao fim para saber se você vai aguentar uma temática dessas. Ainda mais pessoas, como eu, que estão acostumadas com romances em que tudo dá certo no final. 


Para vocês terem uma noção, eu fui escrevendo essa resenha conforme lia o livro. Não foi possível terminar e dar aquele tempo para pensar, porque eu tive sentimentos muito conflitantes ao longo das páginas e achei que seria melhor ir fazendo aos poucos, colocar tudo no papel pra depois fazer um texto completinho. Temos que levar em consideração que eu não sou uma pessoa que lê muitos dramas desse tipo, então eu fui pega pelo furacão que a autora tentou criar. 

"- Nós não fizemos nada de errado. Como o nosso amor pode ser considerado horrível, quando não estamos fazendo mal a ninguém?Seus olhos descem aos meus, brilhando úmidos na penumbra.- Não sei - sussurra - Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa?"
Nas partes mais técnicas, não posso reclamar de nada. Achei bem escrito, ele me fez sentir várias coisas diferentes e eu acho essa capa linda. Tem absolutamente tudo a ver com a trama. Nenhum ponto é deixado em aberto e já vou avisando: se você não aguenta ler finais que te deixam em choque/abalado/surpreso ou sei lá mais o que eu senti, esse não é o livro pra você! Porque estou até agora sofrendo lentamente...

Bom, espero que vocês tenham a oportunidade de ler esse livro, porque é muito bonito e mostra o amor de sua forma mais crua possível. Ah, não esqueçam de deixar seus comentários! Quero saber se alguém já leu, ok? Beijinhos 😘

Ah, os blogs participantes do Clube do Livro 2017 estão aqui e quem quiser conferir as resenhas pode clicar no banner de cada blog ou nesse link aqui.






Mari Zavisch
23 anos. Estudante de jornalismo, amante de livros e fotografia. Harlan Coben é meu amorzinho literário e me apaixono por qualquer personagem de livros ♥
4 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

4 comentários:

  1. Oi, Mari!
    Eu fiquei com uma baita ressaca quando terminei esse livro. Um vazio sem fim... Ele é muito dolorido.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Também li esse livro e nossa... foi como um tiro. Aquele final então, nem se fale!!
    Acho um livro interessante e me fez pensar bastante :D

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nada parecido com esse livro, e acho que para ler algo do tipo, requer um preparo psicológico kkkk, espero que esteja gostando do Clube <3

    ResponderExcluir
  4. Gente, nunca li nada com essa temática e acho que teria o mesmo receio que você hahah mas é bom saber que você tenha acabado gostando dele depois, se tiver uma chance vou ele sim <3

    ResponderExcluir

 
© Galáxia dos desejos, VERSION: 02 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo