Doadores de Sono - Karen Russell

quinta-feira, 20 de outubro de 2016
Ano: 2016
Páginas: 168
Editora: Record


Sinopse: Quando pesadelos são reais, dormir é um privilégio

Uma epidemia assola os Estados Unidos. Milhares de pessoas perdem a capacidade de dormir. Conheça a Corpo do Sono, uma organização que persuade sonhadores saudáveis a fazer doações para os insones. Sob o comando dos enigmáticos irmãos Storch, o alcance da Corpo do Sono só cresce, e ela já está presente nas principais cidades americanas. Trish Edgewater, cuja irmã, Dori, foi uma das primeiras vítimas da insônia letal, há sete anos recruta doadores para a organização. Mas sua crença na empresa e nas próprias motivações começa a vacilar quando ela é confrontada com a Bebê A, a primeira doadora universal, e com o misterioso e maligno Doador Q.



Eu fiquei super animada com esse livro. Pra ser bem sincera, foi o único pedido do mês que eu fiz pensando que não ia me arrepender nadinha e que devia ser uma baita de um livro bacana. Afinal, eu nunca havia lido nada que fosse parecido. Então, que mal poderia ter em um livro assim, certo?

Ainda mais depois que eu li na capa que ele havia sido finalista do prêmio Pulitzer. Nossa, quase chorei de alegria e de vontade de ler haha Sério, eu sou exagerada desse jeito mesmo, não é só pra fazer graça aqui não hahaha Só que como nem tudo são rosas... Bom, eu vou explicar melhor para que vocês entendam.


A personagem central do livro é a Trish Edgewater. Ela trabalha para a Corpo do Sono, uma organização que coleta sono das pessoas que ainda não foram contaminadas pela terrível epidemia que fez com que as pessoas parassem de dormir. Simples assim. Só que para conseguir mais doadores, ela usa da história de sua irmã, Dori, que foi uma das primeiras pessoas a morrer por conta dessa doença. Ela faz de tudo para que seu sofrimento passe para as pessoas que a estão ouvindo e que elas se sintam tocadas pela tragédia e pelas lágrimas que rolam conforme ela vai contando detalhe por detalhe. É um horror usar da morte de sua irmã para conseguir doadores? Sim. Porém, algumas horas de sono doadas, podem prolongar a vida de várias pessoas que não dormem há semanas.

Só que a vida de Trish começa a se complicar quando cientistas descobrem que bebês também podem ser doadores e que o sono deles é um dos mais puros. Ou seja, é mil vezes melhor para quem receber essas doações. Já que eles não precisam passar por todo aquele tratamento para retirar qualquer tipo de vestígio de pesadelo deles. E é ai que ela conhece a Bebê A. Uma garotinha de poucos meses que começa a fazer doações.


Aos poucos, descobrem que além de seu sono ser puro, ela também é doadora universal. O que faz com que ela tenha que doar o máximo de horas estipulado para sua idade. Isso começa a gerar um certo conflito entre Trish e a família da Bebê, já que seu pai é totalmente contra esse abuso que estão fazendo com sua filha.

Além de ter que convencer o pai da menina todos os dias, uma bomba ainda maior cai em seu colo: um dos doadores, o Doador Q, fez uma doação de um sono infectado de pesadelos que não foi detectado na hora do tratamento. Isso está fazendo com que todos os que receberam esse sono, tenham esse mesmo pesadelo noite após noite. Só que as imagens que eles veem são tão horrendas, que nenhum deles quer dormir novamente. Até houveram casos de pessoas que se mataram enquanto tinham os pesadelos. Uma loucura.

Agora, Trish tem que entender como lidar com essa notícia que está fazendo com que ela perca vários doadores e, mais do que nunca, precisa que os pais da Bebê A deixem que as doações continuem. Afinal, o sono da menina pode neutralizar os pesadelos deixados pelo Doador Q...


Ficou confuso? É, então eu consegui passar bem o que é ler esse livro.

Para ser bem sincera, eu ainda estou tentando entender como ele chegou a ser finalista de um prêmio. Não que eu tenha odiado, entendam, mas ele só não é bom. Existem muitos buracos que ficam em aberto, alguns acontecimentos são totalmente sem explicação e que nem deveriam ter sido mostrados na estória, a personagem é uma chata e o final... Nossa, o final. Quis morrer. Juro.

Foi a coisa mais sem pé nem cabeça que eu li nesses últimos tempos. Tanto que, apesar de ser um livro pequeno, eu demorei séculos para ler, pois não conseguia terminar a página sem que outra coisa me chamasse atenção. Foi uma tristeza.

O pior é que a diagramação é legal, a capa é bonita, a premissa é show, tinha tudo pra dar certo... Fiquei bem chateada! Ainda mais com um final nada a ver igual ao que colocaram nesse livro. Dá até vontade de jogar fora depois da última página haha

Enfim, depois de toda essa confusão, eu quero ouvir a opinião de vocês, então deixem seus comentários aqui, beleza? Beijinhos <3




Mari Zavisch
23 anos. Estudante de jornalismo, amante de livros e fotografia. Harlan Coben é meu amorzinho literário e me apaixono por qualquer personagem de livros ♥
3 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

3 comentários:

  1. Oi, Mari!
    Menina, uma coisa que aprendi nessa vida de leitora: esse prêmio Pulitzer às vezes não significa nada. Pior que lendo sua resenha, esse babado de sonhos e coleta, me lembrei de Monstros S/A (oi?). Vai entender.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção 5 Anos de Além da Contracapa
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  2. Ai que tristeza! :/
    Desteto ter decepção literária, por isso eu nem compro livros. Sempre vou na biblioteca ou peço emprestado. Ai eu leio e quando tenho certeza que gostei, compro. u.u
    Me tira do sério essas coisas, pior que a gente perde tempo lendo algo que não gostou! D:

    http://www.seismilmilhas.com/2016/10/kipling-correspondente.html

    ResponderExcluir
  3. caraca,que pena que o livro é chato :(
    Te marquei em uma tag no meu blog,espero que goste,amo seu blog.
    http://escreverdayse.blogspot.com.br/p/blogs-preferidos.html

    ResponderExcluir

 
© Galáxia dos desejos, VERSION: 02 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo