O Safado do 105 - Mila Wander

quinta-feira, 7 de julho de 2016
Ano: 2015
Páginas: 510
Editora: Essência

Sinopse: Podia ter sido com você. Mas foi comigo. E, dali em diante, descobri que morar sozinha podia significar tudo, menos tranquilidade. A minha mudança necessária não podia ser normal, afinal, eu não sou normal. Tenho uma família doida que me fez desenvolver distúrbios psicológicos irreparáveis.

Juro que só queria paz. Queria tédio. Queria um domingo de pura morgação diante do Faustão, comendo pizza requentada e esperando pela segunda-feira como quem espera pela morte. 
Mas não. Nada seria igual e, ao mesmo tempo, seria tão louco quanto. Não podia esperar pelo diferente, não depois de ter conhecido o Sr. Calvin Klein, mais conhecido como o safado do 105.


Cá entre nós, estou com um pouco de dificuldade de escrever essa resenha. Não, o livro não é difícil nem complexo demais. Não foi difícil de entender a trama e muito menos de me apaixonar por Calvin Klein. Foi insuportavelmente fácil de me colocar no lugar de Raissa. Acho que estou me sentindo um pouco abandonada, essa é a verdade haha



O mais estranho de tudo é que eu não esperava gostar tanto e nem posso falar que o livro é perfeito, porque não gostei de alguns detalhes... Mas mesmo assim, estou aqui, enrolando pra conseguir escrever a minha opinião sobre ele.

Bom, vou contar uma pouco mais sobre a estória para vocês, porque FINALMENTE essa sinopse não diz NADA! <3

Raissa é uma mulher de 28 anos que está, finalmente, saindo da casa de seus pais. Apesar de amar sua família, temos que combinar que são pessoas meio malucas. Ela vivi com os pais, a avó, a irmã, a sobrinha e o irmão. Todos os dias tinham brigas, gritaria, risadas e mais gritaria. Era meio caótico e ela estava se sentindo sufocada ali dentro. Por isso, se mudar para o 104 foi a melhor escolha da sua vida.

A casa em que ia morar era na verdade metade de uma casa. Ok, vou explicar. Uma casa muito grande foi dividida em duas: o 104 e o 105. Raissa era a felizarda que havia comprado o 104. A casa contava com um jardim maravilhoso na frente e com o espaço ideal para ela viver sua liberdade. Ainda mais porque se matava de trabalhar em uma área onde os homens reinavam e podia haver muitas dúvidas quanto a competência dela, mas ela acabou mostrando para o que veio e deixava transparecer todo seu esforço.


Estava pronta para começar a arrumas suas coisas, quando resolveu conhecer seu novo vizinho. Afinal, a convivência deveria ser extremamente boa, pois uma parede de gesso não oculta muitas coisas e ela não queria ser a vizinha chata, não é mesmo?!

Só que, bem... Ela jamais seria a vizinha chata. Porque no momento em que pisou em sua varanda, a porta de seu vizinho se abriu e saíram mulheres e um homem. Ah, um homem. Um ser humano maravilhoso, com um corpo maravilhoso e todos os atributos que uma garota quer. Fisicamente claro. Raissa ficou de boca aberta e um pouco constrangida por estar conhecendo seu vizinho justo quando ele trajava tão pouca roupa. Apenas uma cueca Calvin Klein.
"Estava desistindo de dar um "alô" para o vizinho quando um sujeito alto, moreno, com as costas largas e com a bunda maior que a da Carla Perez foi até a portinha."
Logo no primeiro contato, ela percebe que corre um perigo imenso ao lado desse cara. Ele é lindo, simpático, sensual e muuuito safado. Se ela não se cuidasse, cairia nas garras do safado do 105. E o pior, ele não quis dizer o nome e disse que ela poderia chama-lo do que quisesse... Olhando em volta, Raissa só consegue focar em sua cueca, por isso, Calvin virou seu novo nome.

Com o passar dos dias, Raissa percebeu que seu vizinho não estava para brincadeira. Praticamente durante todos os dias da semana, ele levava uma garota ou até mais de uma, para o divertir durante a noite. O problema é que ela conseguia ouvir absolutamente tudo enquanto tentava dormir. As investidas de seu vizinho não paravam nunca e ele sempre tentava fazer com que ela virasse sua próxima vítima... Será que ela ia conseguir aguentar muito tempo? Ela não poderia, certo? Para uma boa convivência, os dois deveriam se manter longe um do outro... Mas não por muito tempo.
"- Senti o cheiro lá da minha casa, por isso que estou aqui. Fui totalmente atraído. - Riu de leve, e senti o meu coração ser possuído pelo ritmo ragatanga."
Gente! Fazia um tempo que eu não lia algum livro hot como esse. Acho que desacostumei um pouco, mas ele me cativou demais! O fato da autora ser brasileira ajudou MUITO. Sério, gente. Ela usa várias comparações e gírias nossas. Coisas como “no ritmo Ragatanga” me fizeram dar muita risada e me apaixonar pela escrita dela. Já até coloquei outros livros na minha lista, porque merece.

Fiquei encantada com a forma que ela usou frases da Clarice Lispector. Sou grande fã do trabalho dela e li várias frases que eu já conhecia e gostava muito. Foram detalhes assim que me fizeram perceber que Clarice sabe muito mais da nossa vida do que nós mesmos haha E foi isso que Raissa se sentiu também.


Claro, nem tudo são flores. Algumas são cactos cheios de espinhos (tá, se você já leu o livro, me desculpe por esse trocadilho ridículo haha). Na minha opinião, teve MUITAS cenas hot. Mas muitas mesmo. Isso me cansou um pouco e eu só passei o olho por algumas delas, me desculpem, mas eu já sabia como ia terminar aquela parte, poxa. E outra, alguns pitis que Raissa deu, eram tão sem sentido que eu acabava ficando com raiva dela. Claro, ela teve razão na maior parte do livro, mas em algumas eu ficava meio “O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO?”. Ainda mais com uma pessoa tão difícil de se lidar como Calvin.

Gostei que a autora soube colocar dramas reais e fortes no meio de toda a sacanagem. Isso manteve o livro com os pés no chão, sabe?! Os problemas com a família e a forma como os dois são sensíveis (sim, Calvin é sensível demais) me surpreendeu ao longo do livro. Isso contribuiu para que não ficasse uma viagem total, tirando a parte que ela encontra um cara maravilhoso que divide a casa com ela e que né... Leiam que você vão entender hahaha 

Na reta final, temos alguns capítulos na visão de Calvin. Eu gostei muito e me fez entender um pouco mais daquela cabecinha maluca! Seus medos, seus sentimentos e como toda aquela loucura entre os dois era difícil pra ele similar. Acho que esses capítulos foram fundamentais para um entendimento melhor da trama.

Espero que tenham gostado, valeu a pena e eu não conseguia parar de ler até chegar na última palavra. Na verdade, até fiquei chateada quando acabou, porque queria mais e mais! Deixem seus comentários para eu saber o que vocês acharam, beleza? Beijinhos!



Mari Zavisch
23 anos. Estudante de jornalismo, amante de livros e fotografia. Harlan Coben é meu amorzinho literário e me apaixono por qualquer personagem de livros ♥
3 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

3 comentários:

  1. Oi, Mari!
    Nossa, eu não consegui nem chegar na metade desse livro. Achei algumas atitudes dos dois muito nada a ver e desisti da leitura, infelizmente.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Tô ate emocionada por você ter lido esse livro. Eu gostei bastante dele também (ah, e eu peguei o trocadilho, hein? ahhaha).
    Eu achei o Calvin um personagem extremamente cheio de características, as vezes era infantil e egoísta, depois era super sensível, mas eu acabei me encantando por ele também.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  3. Quando eu comecei a ler do que se tratava o livro, pareceu bastante clichê. Tem livros eróticos que tem tantas cenas hot que acaba ficando chato ;( talvez eu possa ler um dia, bjs!

    Refúgio Da Ju

    ResponderExcluir

 
© Galáxia dos desejos, VERSION: 02 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo